O segundo ano do Facetas

    Amanhã, o Facetas estará completando 2 anos. Dois anos de publicações ininterruptas. São quase 110 artigos, comentários, citações, poemas, canções e muitas biografias. Tudo, devidamente pesquisado, anotado, registrado. Quando da proposta inicial, não separava caminhar tanto. Como costumo dizer: não sou escritor, jornalista, critico ou músico. Apenas gosto muito desse ramo do conhecimento. É um lazer; é gratificante. Porém, não faço isto sozinho. Tenho o apoio direto das minhas duas filhas; apoio das pessoas que me conhecem, inclusive professores; e, com o apoio, principalmente dos quase 50 mil leitores. Esses são um verdadeiro sustentáculo.        
     Como fiz no primeiro ano, repito agora: a enumeração cronológica do primeiro ao último artigo desde segundo ano, ou seja, de agosto de 2016 a agosto de 2017. A princípio, pode parecer uma atitude primária. Mas não o é. Aquele internauta que não dispõe de tempo, agora, pela ordem, poderá acessar apenas o tema  que porventura chamou-lhe  a atenção. Senão vejamos:  
     1. “Pai, senta aqui”. Homenagem aos pais com o poema-canção O Melhor dos Meus Amigos. 
    2. Millôr Fernandes: do Meier para o mundo“. O grande escritor e a realidade brasileira de suas fábulas geniais. 
     3. ” Paulinho da Viola: azul da cor do mar”.  O compositor, o sambista, o cidadão.       
     4. “O assalto, de Drummond“. Quando a mentira atinge proporções gigantescas no pais da ordem e do progresso.    
     5. “A pergunta de Neruda“: Quem morre?         
     6. “Oásis de Bethânia”. Os 70 anos de vida e os 50 de carreira da artista baiana.     
    7. “Raul Seixas – versões e plágios“. A contrafação do plágio da música brasileira e fora dela; mundo afora.  
     8. “Divino Cartola“. A história da vida e da arte que nos enchem  de glória.  
     9. “´Alvaro Maia: o principie dos poetas…” O imortal de Canção de F´e e de Esperança, que varou o tempo.
    10. “Mallu, a multiartista”. A cantora Mallu Magalhães, ´e um dos exemplos do resgate da boa música brasileira. 
     11. ” Chorei por ti, Argentina”. As vozes de Beth Carvalho e Mercedes Sosa, juntas. 
    12. ” Goethe, a vida oscilante entre a sombra e a luz”. As derradeiras palavras do fantástico poeta alemão.
    13. “Glauber, a solidez da pedra”.  A passagem do cineasta por Manaus, pelo Amazonas, nos anos 60.
    14.. “Negritude já!”. Um grito contra o racismo e o preconceito nos versos de Bernard Dadié.
    15.  “Quem educa jamais fracassa.” As firmes palavras do poeta amazonense Moady Braga.
    16.  “Quintana: um anjo disfarçado de homem”.  O poeta sulista, Mario Quintana.
   17. “A velocidade da luz de Florbela Espanca”. A poetisa portuguesa autora de magistrais sonetos, inclusive Fanatismo.   
    18.  “Hey, Mr. John”. Passados quase 40 anos da sua morte,  o sonho não acabou. 
    19. “A literatura é a arte da sabedoria”. Faces, a poesia.
    20. “Natal Celestial”. +A data e o poema Itapiri.
    21. “Tempo de Paz”. Queremos paz. queremos vida, queremos viver.
    22. “Aos Psikeiros, nota 10“. A boa música amazonense ao entardecer. 
    23. “Marie Curie: entre a ciência e o amor” ( em duas partes).
    25. “O estonteante talento de Ana Muller”. Juventude e música autêntica
   26. “Dominguinhos: Lá onde a lei seja o amor“. A trajetória do gigante da sanfona (em duas partes).
    28. “Disco ´e cultura.” com “Naturalmente” de Caetano Veloso e João Donato.
    29. “O eterno amor de Carolina e Machado de Assis“. Uma vida dedicada a amada e às letras.
    30. “Raimundo Sodré: a soma de tantas subtrações”. A Massa, em dose dupla.
    3l.  “Os órfãos de Nely Sachs”. Uma voz contra os horrores de de Hitler e seus criminosos.
    32. “O homem, a História e as contradições“. As inquietações de Brecht.
    33. “Nietzsche: Glória e eternidade“: Ecce Homo.
   34. “Elogio do aprendizado”. (em duas partes). A educação segundo a tese da pedagoga pernambucana Aparecida Xavier.
    36. “Pedro Tierra: a revolta é sua lei“. seu imortal poema “Angel”.
    37. “Elas cantam em portuguez”. ignorância contra as normas da língua oficial.
    38. “A bossa sempre nova de Elizath”. A madrinha da dupla: Tom Jobim e Vinicius de Moraes. 
    39. ” Moacyr Aves: o poder da oratória”.  O autor de 5 falas da Amazônia.
    40. “O puro samba de Zé Kéti“. O puro samba que veio do morro.
    41. “O tempo, de Aldisio Filgueiras“. O poeta e sua crônica da vida real.
    42. “La Fontaine: instruir e agradar”. palavras atuais.
    43. “Uma mensagem a Garcia”. Quem são seus mensageiros?
    44. “A morenice de Zizi Possi”. quem é Maria Izildinha?
    45. “Teu samba. minha vida“. O samba é genuinamente nosso!
    46. “Tempo Brasil: eu vejo o futuro repetir o passado“. O poeta Cazuza, sempre.
    47. “De medalhões estamos fartos!”  
    48. “Hollywood Tropikal 65”. A visão do cineasta e escritor Glauber Rocha sobre a Amazônia
.   49. “Xantipa, a viúva”. O filósofo errou?
    50. “O palco iluminado de Sílvio Caldas”. Sílvio e Elizeth em dois LPs.
    51. “Adoniran: o Carlitos brasileiro”. O sotaque do samba brasileiro, A partir de Sampa.
    52.  Este, da retrospectiva.
        Amigo leitor, sou muito grato pela vossa participação, para que o Facetas exista. Há duas semanas a página fora reformulada e ficou ainda melhor, melhor visibilidade para acesso, agora site. Em nenhum momento, o Facetas emite juízo de valor sobre o que  publica. Assim continuará. E outros estudos virão, com certeza. Muito Obrigado mesmo.
         
           Referências 
           1. Todas as citadas ao longo do segundo ano.                    

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s