“Arte de amar”, de Manuel Bandeira

A obra do poeta pernambucano Manuel Bandeira (1886-1968) continua sendo referência para a literatura brasileira. Abre-se um livro didático, geralmente preparado para crianças e adolescentes, e lá estão os maiores nomes da prosa e da poesia nacionais. Os autores têm muito cuidado na contextualização dos conteúdos, para proporcionar aos estudantes melhor compreensão e maior aprendizado.… Leia mais “Arte de amar”, de Manuel Bandeira

Aprendi com William Shakespeare

Na minha adolescência, eu descobri um poema de Shakespeare (dramaturgo e poeta inglês, 1564-1616), intitulado “O Menestrel” (inclusive tem o vídeo de um artista recitando, lindamente). Mas, ano passado o meu pai (fundador desse blog) encontrou o poema na íntegra, num livro de Língua Portuguesa, intitulado “Simples Palavras”. Decidi compartilhar com vocês o poema. Acredito… Leia mais Aprendi com William Shakespeare

Lacerda, Cazuza e o velho Mirigido

Morei em Lábrea (AM) até 1984. No início daquela década, conheci o brilhante estudante Antônio Carlos Lacerda de Souza. O jovem tinha um apelido, no mínimo, curioso: “Mirigido”. Porém, nada surpreendente. Era muito comum uns apelidarem aos outros (sem malícia; sem nomes pejorativos). O tempo foi passando, passando e tudo foi ficando distante, naturalmente. Entre… Leia mais Lacerda, Cazuza e o velho Mirigido